Governo populista dá razão aos rolezinhos ao invés de promover a ordem e impedir os altos prejuízos para os comerciantes.

Estou cansado de dizer que o governo empurra para a iniciativa privada todas as responsabilidades que deveriam ser custeadas pelo governo, e agora apareceu uma que creio ninguem ter imaginado: como não há parques públicos e locais de diversão para os mais pobres (nem para os mais ricos), a população vai fazer rolezinho nos shoppings causando tumulto e altos prejuízos.

Acho que já estamos todos cansados desse tema, então vou tentar mudar um pouco o foco, afinal todos falam muito mal dos empresarios e dos baderneiros, mas o governo sai pela tangente como se não fosse o maior responsável.

Basicamente o povo não tem onde se divertir sem gastar dinheiro. Tudo que é público não funciona, é mal cuidado, mal gerenciado, corrupto, ou inexistente… Agora estes baderneiros decidiram invadir locais privados, causando prejuizos para lojas e funcionarios (que ganham comissoes em função de suas vendas). Nenhum shopping nunca barrou entrada de “pobres” e nunca foram impedidos de assistir cinema ou comer nestes lugares, portanto, não estamos falando de preconceito contra os “pobres”. Como vivemos num mundo capitalista, os lojistas pagam fortuna por cada metro quadrado de um shopping e por isso, eles não podem aceitar pessoas que tomam conta de um andar inteiro e não gastam nada. Simples assim. Notem que “bandos barulhentos” que gastam dinheiro são benvindos por muitos comerciantes. Uma prova disso são os “rolezinhos” ou bando de brasileiros que vão fazer compras em Miami e sempre são bem recebidos!! rs. Pagando bem que mal tem…

Estou ouvindo muito que “empresário é preconceituoso”, especialista dizendo que não se pode barrar entrada de jovens desacompanhados… para o governo é muito mais facil e bonito apoiar estes movimentos sociais, do que tentar colocar ordem no galinheiro. Isso mostra claramente que todo o povo brasileiro (seja o pobre ou o rico) está de saco cheio de tudo e a bomba estoura em cima das empresas que todo mundo acha que tem dinheiro inesgotavel e vários deveres e obrigações … afinal todos os brasileiros estão cheio de direitos… Não vejo muita diferenca de um Brasil para uma Venezuela ou outros paises com mentes pseudo-socialistas: discursos bonitos, governantes ricos e impunes com uma população passando fome.

Em breve, a única solução para barrar o rolezinho vai ser cobrar entrada (creio que não exista lei para barrar isso)… imagina termos que pagar para poder entrar num shopping ?!?! vair ser pobre reclamando que esta excluído e os demais reclamando que tudo é muitíssimo caro para ter uma qualidade de vida apenas razoável. Todos com razão.

Energia elétrica em São Paulo (e no Brasil) é uma porcaria. Minhas empresas ficam sem luz várias vezes ao ano.

Mais uma vez esta semana fui obrigado a dispensar mais de 50 funcionários da minha fábrica porque ficamos sem luz no bairro. Já é a terceira vez que isto acontece neste ano de dispensar funcionários mais cedo. Desta vez a luz caiu as 15 horas.

Isso sem contar outras dezenas de vezes em que a luz pisca bastante, ou cai por menos de 1 minuto. Somos obrigados a ter nobreak em tudo e nobreak é bem caro. Ficamos sem telefone, sem computador, sem maquinário para produzir e sem luz, ou seja, não há nada a ser feito. A empresa tem prazos de entrega para cumprir e contas para pagar. Já imaginou a grana preta que perdemos ficando sem produzir por todas estas horas.

O Brasil parece andar na contramão neste assunto. Enquanto o Brasil tem grande quantidade de rios e ventos, parece que cada vez mais falta energia. Outros países desenvolvidos investem pesado, enquanto o Brasil patina e fica com obras encalhadas.

Que paradoxo: as leis no Brasil são super complexas e infinitas, mas nenhuma empresa tem lucro suficiente para contratar assessoria de advogados.

Tive um problema com a “malha fina” do imposto de renda/receita federal e fui solicitar uma orientação “sem custo” de um advogado tributarista. Ao contrário dos médicos, os advogados pelo menos não cobram nada para analisar um caso. Nada contra médicos, nem advogados, mas sabemos que o serviço de ambos é muito caro (pelo menos a maioria dos bons médicos e advogados).

No final da visita, comentei com o advogado que eu era empresário, e a partir daí ele começou a me “assustar” mencionando várias leis novas e resoluções do senado que entraram em vigor em 2013. Ou seja, as leis mudam radicalmente da noite para o dia, e nós, empresários, não temos como nos manter informados, nem se adequar as mudanças. Descobri que todos os meus produtos que compro e vendo terão os impostos alterados, sendo eu responsável por saber profundamente todos os benefícios e impostos pagos também pelos meus fornecedores. Cito apenas alguns casos que envolvem quase todos meus produtos: substituição tributária e ICMS sobre importados. Estes dois assuntos já deixam qualquer um de cabelo em pé. O advogado comentou que criminoso que mata não vai preso, mas se a gente recolhe um imposto errado ou preenche um formulário incorreto, podemos ir para prisão a qualquer momento.

Neste caso, posso afirmar 100% que sou um criminoso, afinal, é impossível conseguirmos seguir todas as leis, resoluções e mudanças constantes da lei. Por isso que fiscal é tudo corrupto, senão, precisaria prender todo mundo: empresário, contador, gerentes, etc.

Nem cheguei a perguntar quanto custaria uma consultoria da empresa dele, mas posso dizer que a grande maioria das empresas não tem nem R$3.000 sobrando para receber uma consultoria permanente de advogados. Tive a sensação que esta consultoria iria custar pelo menos o dobro com ele. Só podemos apagar fogo, ou seja, contratamos advogado depois que recebemos uma notificação judicial, depois que a merda acontece.

Eu já pago quase dois salários minimos para ter uma contabilidade, e mesmo considerando minha contabilidade boa, eles não tem condições de me manter informado das coisas. Afinal cada produto de cada cliente dele tem que seguir leis e impostos diferentes. Infelizmente quando tenho uma duvida sobre importação, meu contador manda eu falar com o despachante aduaneiro, e o despachante manda eu falar com o contador. Ou seja, o empresário fica sem resposta e acaba fazendo de qualquer jeito. Claro que uma consultoria de advogados me salvaria, mas se for contratar consultoria para tudo que recomendam, eu precisaria pagar uma consultoria tributaria, uma trabalhista, uma empresarial, ou seja, empresário no Brasil precisa de infinitas consultorias.

Se fosse para seguir todas as leis e fazer o certo, todos deveriam contratar advogados para cargos de Vendedor, Comprador, RH e até para emitir notas fiscais. Imagina só… a “mocinha que emite nota fiscal” não pode ser mais aquela estagiária ou auxiliar de escritório… tem que ser uma contadora ou advogada experiente… sabemos que isso é praticamente inviável e/ou impossível. Minha vendedora atualmente trabalha com tanta tabela e calculo de impostos que fico até com pena, ela fica perdidinha, afinal, cada estado trabalha com impostos diferentes e vendemos diferentes tipos de produtos (cada um com sua fórmula e tabela).