Estacionamento do Anhembi reflete os governos no Brasil: caro, sem estrutura e aceita gorjetas.

Minha empresa estava com um stand na feira FISPAL Tecnologia 2013 no Anhembi e o estacionamento por lá sempre foi a maior dor de cabeça para expositores e visitantes. Depois de algumas melhorias realizadas nos últimos anos, passou de terrível para sofrível: ampliação da área, cancelas automáticas, postes iluminados indicando o numero das ruas para facilitar localização do seu carro, uma pintura devido a Formula Indy, e só isso.

Chegando você paga absurdos R$30 por dia. Expositores pagam a mesma coisa e estacionam no mesmo lugar dos convidados. Em vários horários, formam-se demoradas filas para entrar no estacionamento (e na saída também devido a problemas nas cancelas automaticas). Colocaram cancelas automáticas, mas somos obrigados a passar por cabines para efetuar o pagamento logo na entrada. Porque não colocar caixas ao lado do estacionamento como qualquer centro de eventos privado?

O estacionamento foi ampliado, o que significa que sua chance de estacionar bem longe e andar bastante é grande.  Mesmo assim, ainda é necessário que os carros fiquem estacionados em fila dupla, fila tripla, atravessado em vários cantos impróprios no maior aperto.

Se chover, de nada vai adiantar você colocar aquele sapato novo para chegar apresentável. Você pode escolher passar por cima das poças de água (piscinas ao ar livre) ou para fugir das poças você anda pelas áreas com grama e barro. As modelos dos stands não sei como fazem estas horas.

Nenhuma área é coberta. A equipe do estacionamento sempre sinaliza para você ir para a parte mais longe do estacionamento. O fato de eles não indicarem quando há uma vaga disponível perdida no meio não é motivo de reclamação, mas o problema é que eles só mostram estas melhores vagas se pagarmos uma caixinha. Pagando uma caixinha, eles deixam você até estacionar na área para idosos ou deficientes.

Flagrei algumas vezes pessoas abrindo a janela do carro e dando dinheiro para estes funcionários do estacionamento, inclusive na área de deficientes, sem deficientes no carro. Flagrei jovens estacionando o carro na área para idosos sem nenhuma fiscalização.

Comparando com estacionamentos privados: no padrão do Anhembi custariam bem mais barato, ou se for para pagar caro, podemos falar de shopping center: vários andares, vagas cobertas, sem chuva e barro, sempre perto de um elevador.

Porque ainda não colocaram sensores nas vagas e sinalização indicando quantas vagas estão disponíveis em cada corredor ou área. Assim saberiamos exatamente onde estão as vagas e onde elas estão.

Infelizmente este é o retrato das empresas gerenciadas pelo governo, prefeitura, etc. Cheia de dificuldades, caras, não funcionam direito para você ter que pagar propina para não ficar perdido no meio do lixo.

Para onde que vai toda essa arrecadação com estacionamento do Anhembi? Eles já ganham muito dos organizadores de feiras, e muito mais com estacionamento. Posso afirmar que esta dinheirama não vai para investir na própria infraestrutura do local e bem estar dos expositores e convidados.

E olha que estamos falando (creio) do maior centro de exposição do Brasil, pelo menos onde as maiores feiras estão.

Obras públicas são sempre demoradas e levam o comércio próximo a falência.

Vemos pela noticia abaixo que as obras para estádios para Copa do Mundo arruinaram a vida de muitos comerciantes da região. O governo com sua ineficiência, leva anos ou décadas para obras que poderiam ser feitas em muito menos tempo.

Moro próximo da Rua dos Pinheiros em São Paulo. As obras do metrô fecharam a rua (e proximidades) por vários anos. E mesmo aqueles que não precisaram necessariamente fechar as portas, conviveram por anos com clientela praticamente zero, muito barulho, sujeira, infestação de pragas, e por ai vai. Qual empresa tem caixa para sobreviver sem faturamento por vários meses ou anos? O que fazer com os trabalhadores contratados? Custos de demissão são imensos. Mantê-los também não tem sentido de portas fechadas.

Os donos dos imóveis até são recompensados com grande valorização depois das obras, mas ficam no prejuízo por anos até que isso aconteça. Os comerciantes se ferram pois não resistem ao longo dos meses.

Estou esperando pra ver se a reforma da Feirinha da Madrugada vai realmente durar 2 meses, conforme prometeu o governo.

Brasil último colocado: altos impostos, nenhum retorno para a população. Governo rico, empresas sem lucro e população sem poder de compra.

Para qualquer empresário, não é novidade nenhuma saber que o Brasil é campeão dos impostos. Infelizmente a maioria da população não sabe na realidade quanto se paga de impostos sobre os produtos que compra, e ainda insiste que os produtos no Brasil são caros por causa das altas margens das empresas. Infelizmente quando o governo não reverte o alto recolhimento em impostos para a população, as empresas e o empreendedorismo são muito afetados. Afinal, a mão de obra fica desqualificada sem educação, doente sem acesso a tratamentos de saúde (tendo as empresas que oferecer planos de saúde privados), alto custo em vale transporte mesmo que ineficiente, etc. Da mesma maneira que a população não pode contar com nenhum serviço publico, as empresas ficam totalmente largadas. O governo não investe nem incentiva empresas inovadoras, não financia pesquisas e só defende empresas que financiam partidos políticos.

O pior é que o governo ainda faz milhões de campanhas para combater a sonegação, exigir notas fiscais, como se as empresas pagassem poucos impostos. Já somos campeão dos impostos no mundo mesmo tendo um monte de empresa sonegando, imagina se todos pagassem tudo certinho. Por isso que as empresas estão sempre na mão dos fiscais… nenhuma tem condições de pagar tudo certinho.

Imposto alto quer dizer que todos os produtos ficam caros e inacessíveis para a população e as empresas trabalham com margens mínimas para ficar com preços viáveis. Sem poder de compra, a população reclama que as empresas pagam salários baixos.

Não entendo quando vejo pesquisas de opinião dizendo e avaliando o governo como bom ou ótimo, mesmo nada funcionando. Não me refiro a partido X ou Y porque sempre foi a mesma merda. Hospital cheio sem médico nem leito, transporte público uma desgraça, estradas esburacadas, educação onde poucas escolas públicas se salvam, e por ai vai.

Não entendo como ainda existe gente que é contra a privatização do Brasil inteiro. Mas tem que privatizar e reduzir os impostos.

http://g1.globo.com/economia/noticia/2013/04/brasil-e-ultimo-colocado-em-ranking-sobre-pouco-retorno-dos-impostos.html

Vergonha ver que brasileiros mal falem inglês (e mal falem português) !!!

Viajando para a China, fiquei impressionado no crescente número de pessoas que falam inglês. Já estudei mandarin por mais de um ano, por isso, eu sei o quanto é difícil para eles aprenderem inglês. Mesmo assim, eles aprendem. O inglês já faz parte do ensino fundamental na China, portanto, após a graduação, eles já falam bem inglês sem necessidade de cursinhos extras.

Olhando para o Brasil, as pessoas aprendem inglês desde a infância na escola, colégio e faculdade. Mesmo estudando por mais de 10 anos, uma minoria tem condições de manter uma conversação básica com um estrangeiro. Muitos fazem cursinhos extras por vários anos, mesmo assim, pouco evoluem. Conheço pessoas que fazem curso de inglês a vida toda, mas parecem iniciantes.

Estive pensando a causa disso… Primeiro, nossa educação nas escolas é uma porcaria. Tanto a escola pública como muitas particulares ensinam apenas o verbo “to be” todos os anos, e os professores sempre dão um jeito do aluno passar de ano. Ou seja, nunca vi ninguém repetir de ano por não atingir a média de inglês.

Outro ponto é falta de interesse dos alunos. Inglês é muito fácil comparado com qualquer idioma e a maioria das pessoas não se esforçam. Falta interesse mesmo, ou vergonha na cara. Muitos fazem cursos de inglês porque os pais querem, mas ficam com a cabeça em outro lugar. Depois que a vida profissional começa fica mais difícil de encontrar tempo para fazer cursos e estudar.

Outro ponto é que realmente o inglês não é tão utilizado no Brasil como em outros países. O Brasil vive em uma bolha artificial… o Brasil é uma ilha…altos impostos e uma ineficiência tal que poucas empresas tem condições de exportar. Como as alíquotas de importação são altas e temos uma indústria desenvolvida, não importamos tantos produtos. Ou seja, por que aprender inglês se as empresas não precisam contatar estrangeiros??? Não conseguimos exportar e importamos pouco.