Empresa condenada pela fofoca e brincadeira de seus funcionários. Porque não fazer os funcionários pagarem a conta?

 

Ao ler a manchete de que uma empresa foi condenada a pagar uma indenização por constranger um casal homossexual, já estava achando que algum empresário ou sócio da empresa tivesse sido preconceituoso com seus funcionários.

Ao ler a notícia inteira, ficou claro que as homossexuais foram discriminadas pelos próprios colegas de trabalho, fofocas e brincadeiras. Todo mundo sabe que fofoca e piadinhas (mesmo que de mal gosto) acontecem em todos lugares e não tem como controlar. Fofocas entre amigos, na família, na escola, dentro de casa mesmo, ou como muitos chamam a “radio peão”. O que ocorre dentro das empresas é um simples retrato da sociedade. A empresa pode tentar reprimir, mas sabemos que isso é impossível na prática. Preconceito contra homossexuais é muito comum no Brasil inteiro e todos estão carecas de saber que é crime. As piadas são sempre feitas “as escondidas” e dificilmente chega aos ouvidos dos donos da empresa e mesmo que chegue nunca sabemos se foi verdade e quem foi o autor da piada.

Junte-se a isso o fato da lei trabalhista proibir que as empresas façam qualquer punição a um funcionário sem provas super concretas… Ou seja, é justo sim que a empresa pague a indenização, afinal as funcionarias homossexuais sofreram danos morais mas também seria justo a empresa descontar esse valor do salario do funcionário para ressarcir o dano material causado. As pessoas mudam somente quando doi no próprio bolso!!!

http://economia.uol.com.br/empregos-e-carreiras/noticias/redacao/2014/02/07/justica-condena-empresa-a-pagar-r-14000-por-constranger-casal-de-mulheres.htm

Motorista de caminhão estava sem cinto de segurança morre em acidente e empresa é obrigada a pagar danos morais.

Um motorista de caminhão sofre um acidente fatal, sendo confirmado pelo juiz o fato que o principal causador da morte foi a falta do uso do cinto de segurança. O caminhão estava em bom estado, assim como a rodovia. Mesmo não tendo qualquer culpa e contrariando as próprias leis, a empresa foi considerada culpada e precisará pagar danos morais a família.

O trabalhador não cumpre as normas mais básicas de segurança e a culpa é do empresário. Os funcionários e empresários já pagam o INSS regularmente exatamente para casos de acidentes e mortes, portanto, em teoria, a empresa já está pagando o seguro pelo funcionário. Vai ter que pagar de novo? Motorista agora vai ter que ter seguro de vida bancado pelo empresário? Então vamos cancelar o INSS que como tudo cobrado pelo governo, não serve pra quase nada. OK. Vamos pagar seguro de vida para funcionários e ter que embutir o valor no preço dos produtos e elevar preços (e/ou reduzir salários pois consumidor não aceita aumento de preço ou compra do camelô da esquina).

Da mesma maneira que os empregados deveriam se concientizar em usar o EPI, e não culpar empresas quando acidentes ocorrem por falta de EPI, mesmo disponibilizando e cobrando isso dos funcionários.

O empresário tem que pagar pela burrice das pessoas também!!! Quem disse que burrice não mata?

Lembrei no final que todos pagamos também o DPVAT. Seguro para acidentes de trânsito.

http://www.legisweb.com.br/noticia/?id=8516

Fita pornô enviada no lugar de filme infantil rende R$18 de indenização! Valor desproporcional!

O que aparentemente seria um caso hilário, virou caso de justiça com direito a indenização de R$18 mil reais. Um pai acabou recebendo um filme pornô ao invés do filme infantil.

http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/rj/2012-09-04/cliente-que-comprou-filme-porno-achando-que-era-infantil-sera-indenizado.html

Eu poderia até ter ficado incomodado se fosse comigo, mas fazer uma empresa pagar tudo isso é totalmente desproporcional. Já dizem que a maldade está nos olhos de quem vê. Não vou entrar em detalhes, afinal não sou psicólogo.

De qualquer forma, temos tantos programas de televisão com baixaria, e nada acontece!!! Temos tantas injustiças que acontecem no Brasil e ninguém ganha nada. Pessoas morrendo em filas de hospitais, fome, educação, e outras causas bem maiores que não rendem nem um centavo para as vítimas. E tem um fulano que vai ganhar uma fortuna por algo tão pequeno.

No Brasil as coisas realmente tem dois pesos e duas medidas. Principalmente quando envolve consumidor reclamando de empresas privadas.