Websites e softwares criados pelo governo estão complexos demais e são impossíveis de serem acessados.

O governo brasileiro está cada vez mais implantando sistemas via internet no que chamamos de Big Brother do governo. Os softwares fazem múltiplos cruzamentos de dados, verificam impostos para poder cobrá-los em tempo real e com o E-Social todos os trabalhadores também serão totalmente monitorados com dados pessoais, rendimentos, etc. Ou seja, empresas e empregados sendo monitorados diariamente. Só os políticos pelo jeito não são monitorados da mesma forma.

O problema que aconteceu recentemente na emissão das guias para o pagamento dos impostos no E-Social para cadastrar as empregadas domésticas e suas empregadoras é somente a ponta do iceberg. O sistema simplesmente não funcionava e o governo insistindo que se o pagamento fosse feito fora do prazo, haveria multa. Agora como empresário, tenho percebido este mesmo problema em dezenas de sites do governo para diferentes finalidades. A cada mês, a empresa de contabilidade que nos presta serviços menciona uma nova obrigação, um novo website a ser acessado, a necessidade de baixar um novo programa. Cada órgão do governo cria um site ou programa novo. Cada órgão de cada cidade, de cada estado, e por ai vai (ou não vai).

Para começar, o certificado digital que deveria ser pessoal e intransferível já não funciona direito. Várias vezes a nossa contabilidade pediu para retirar meu certificado digital e informar a senha. Ou seja, estou literalmente entregando minha assinatura digital para terceiros. Por quantas mãos meu certificado vai ter que passar na contabilidade? Isso é pior do que assinar um papel em branco. Tanto a contabilidade como também a própria atendente que emite o certificado digital confirmou que isso tem sido necessário, mesmo sendo absurdo.Até onde fui informado, nem todos os sistemas permitem criarmos procuração eletrônica para nossos contadores, o que exige que o dono da empresa entregue seu próprio E-CPF ou E-CNPJ.

Existe também outros sistemas no governo que exige download de programas, configurações e treinamento. Então o contador me liga e diz o seguinte: “se você não quiser me entregar seu certificado, você poderá baixar os programas, inserir as informações e depois baixar outro programa para realizar o envio via internet”. Por mais que eu receba todas instruções, não tem cabimento o dono de uma empresa ter que ficar o dia inteiro na frente do computador baixando e instalando esse monte de programa que o governo exige. Para isso é que eu pago contador. Ele sim vai baixar todos os programas, inserir os dados e ser plenamente treinado para fazer o procedimento certo.

Mas ainda assim, o contador não pode fazer tudo. As vezes, somos obrigados a entrar direto no site de algum órgão do governo diretamente. Que merda: para cada site, você tem que testar vários navegadores. As vezes é Google Chrome, mas não Internet Explorer. Outros vão mais fácil no Firefox. Outras vezes eu consigo somente no Opera. Estes sites dão erro várias vezes. O governo não disponibiliza nenhum telefone para resolver problemas, e quando muito, eles tem um formulário para envio de reclamações que será respondido por email. Como é possível ajudar alguém nestes casos por email, sendo respondido após 5 dias úteis e você com prazo pra cumprir para não pagar multa? Tem programa que só funciona nas versões mais antigas. Ou seja, se seu computador for muito atualizado, não adianta tentar. Fico revoltado pois eu tenho conhecimentos avançados em computador e mesmo assim apanho feito criança. Fico imaginando quem não possui tanta familiaridade.

Perdi a conta de quantas vezes isso aconteceu. Mas recentemente ocorreu isso comigo e poderei mostrar exatamente ao que me refiro. Recebi uma notificação digital para fiscalização da minha empresa. Para isso, tive que entrar em um site que nunca tinha ouvido falar. Entrei com certificado digital e após algumas tentativas (deveria ser de primeira, mas fico feliz que entrei em menos de 20 minutos sem dar pau), consegui baixar a notificação e as exigências. No outro dia, descobri que precisaria responder a esta notificação também por internet e anexar documentos através de outro site. Em nenhum local mostrava o endereço deste site. Tive que perguntar ao contador: chama-se e-pat (https://www.fazenda.sp.gov.br/ePAT/portal/). O site pede o certificado digital 2 vezes, sendo que na segunda vez sempre deu pau. Resultado: passei horas na frente do computador e não consegui entrar no site. Eles ainda colocam um manual para download cheio de procedimentos: apagar cache do navegador, excluir pasta XXX, reconfigurar tudo. Fiz todo o procedimento e nada. Ou seja, desconfigurei todo meu computador para nada.

No final das contas, a informatização que deveria agilizar e facilitar os processos, acabam só representando mais burocracia ainda. Temos que perder mais tempo para passar mais informações ao governo que será usada simplesmente para controlar seus impostos pagos e cobrar mais multas injustas. Espero que algum dia no futuro estes sistemas funcionem realmente para não dependermos mais de ir num balcão de atendimento público e conseguir tudo via internet. Mas enquanto isso, as empresas tem sofrido cada vez mais com estes inúmeros sistemas, que exigem inúmeros cadastros, downloads e dificuldades de acesso.

Nova lei anticorrupção será inútil e foca somente o lado das empresas privadas.

Obviamente qualquer lei que combata a corrupção contra a administração pública é bemvinda, mas esta lei sera totalmente inútil. O governo quer mostrar para a população que está combatendo a corrupção? Pelo alarde que todos os jornais fazem, a população e a mídia parecem mesmo cegas.

Sempre falei que o centro podre da corrupção está no governo, escancarada e sem vegonha. Não estou dizendo que não existem empresários (e seus funcionários) corruptos, mas esta lei mostra que é sempre as empresas as responsáveis por fiscalizar tudo e tira as responsabilidades dos governos.

Por que o governo não cria leis e projetos para fiscalizar o próprio poder publico ? Fiscalizar funcionários públicos, politicos, instituições públicas, ONGs, sindicatos, etc…

Enquanto isso, ouço diariamente escândalos no governo que não são punidos, nem julgados. O ministro da saúde Arthur Chioro assume cargo público, mesmo tendo uma empresa que presta serviços de saúde para vários municípios. Ele transfere as cotas da empresa para a esposa e o governo aceita normalmente já que a empresa “não é mais dele”. Estão todos tirando sarro da nossa cara.

Considerando que em todas as grandes licitações há corrupção e só ganha aquele que paga propina pro governo, todas as empresas honestas nunca mais vão querer participar de licitações públicas. Vai ser um prato cheio para estas empresas fundo de quintal controladas secretamente por ministros e governantes. Estas empresas de fachada (como esta do Arthur Chioro) vai sair ganhando tudo. Estas empresas de fachada nunca serão investigadas ou multadas, afinal pertencem a ministros, senadores e outros funcionários públicos. Isso sem falar em vários casos de empresas honestas que vencem licitações e levam meses ou anos para receber o pagamento. Minha e milhares de pequenas e medias empresas ficam totalmente sem chance de participar honestamente de qualquer licitação e quando ganha, ainda corre um grande risco de calote.

Afastar a corrupção no governo, isso sim irá automaticamente barrar os empresários corruptos e reduzir corrupção, porém o inverso não é verdadeiro. Afinal, quantas leis já não existem e quantos regras já foram criadas em licitações e mesmo assim a putaria continua??

http://www.istoedinheiro.com.br/noticias/138714_ENTENDA+O+QUE+E+A+LEI+ANTICORRUPCAO

http://www1.folha.uol.com.br/poder/2014/01/1401707-novo-ministro-da-saude-nega-conflito-etico-em-atuacao-como-consultor.shtml

Todos querem que o governo reduza os custos (e o cabide de empregos), mas nenhum sindicato aceita perder postos de trabalho ou ameaçar empregos para melhorar a eficiência. Corporativismo e monopólio em várias categorias.

Quando é para falar mal do governo e dos altos impostos, todos estão de acordo. Já é sabido por todos que a maioria dos servidores públicos tem regalias demais, pouca eficiência, sendo mais um cabide de empregos em todas as esferas do governo.

Porém para aumentar a eficiência do governo ou custo de vida, a solução é a mesma, tanto para empresas como para o governo. Reduzir o número de funcionários, apertar as contas e exigir maior eficiência com redução de custo.

Vemos que todo mundo quer proteger o seu lado e monopolizar: as licenças para taxista são super limitadas (e hereditárias), os jornalistas estão querendo exigir diploma de jornalista para todos que desejem escrever publicamente, os portos estão sendo privatizados e os estivadores exigem monopolizar os serviços pelo sindicato deles (e não regidos pela CLT), os cobradores de onibus não podem deixar de existir (mesmo com o bilhete unico) igual ocorre em muitos países, posto de gasolina sem frentista é proibido, e por ai vai…

Algumas profissões estão ficando obsoletas e realmente haverá demissões em massa no futuro, mas devem fazer um planejamento para treinar estes profissionais para assumirem novas funções e eliminar as profissões no longo prazo.

 

http://g1.globo.com/sp/santos-regiao/noticia/2013/07/estivadores-fazem-novo-protesto-e-bloqueiam-totalmente-anchieta.html

http://g1.globo.com/minas-gerais/triangulo-mineiro/noticia/2012/09/exigencia-do-diploma-para-jornalistas-ainda-divide-opinioes-no-triangulo.html

http://colunas.revistaautoesporte.globo.com/blogdaautoesporte/2008/07/15/postos-sem-frentistas-sao-comuns-na-europa-mas-proibidos-no-brasil-2/

Estacionamento do Anhembi reflete os governos no Brasil: caro, sem estrutura e aceita gorjetas.

Minha empresa estava com um stand na feira FISPAL Tecnologia 2013 no Anhembi e o estacionamento por lá sempre foi a maior dor de cabeça para expositores e visitantes. Depois de algumas melhorias realizadas nos últimos anos, passou de terrível para sofrível: ampliação da área, cancelas automáticas, postes iluminados indicando o numero das ruas para facilitar localização do seu carro, uma pintura devido a Formula Indy, e só isso.

Chegando você paga absurdos R$30 por dia. Expositores pagam a mesma coisa e estacionam no mesmo lugar dos convidados. Em vários horários, formam-se demoradas filas para entrar no estacionamento (e na saída também devido a problemas nas cancelas automaticas). Colocaram cancelas automáticas, mas somos obrigados a passar por cabines para efetuar o pagamento logo na entrada. Porque não colocar caixas ao lado do estacionamento como qualquer centro de eventos privado?

O estacionamento foi ampliado, o que significa que sua chance de estacionar bem longe e andar bastante é grande.  Mesmo assim, ainda é necessário que os carros fiquem estacionados em fila dupla, fila tripla, atravessado em vários cantos impróprios no maior aperto.

Se chover, de nada vai adiantar você colocar aquele sapato novo para chegar apresentável. Você pode escolher passar por cima das poças de água (piscinas ao ar livre) ou para fugir das poças você anda pelas áreas com grama e barro. As modelos dos stands não sei como fazem estas horas.

Nenhuma área é coberta. A equipe do estacionamento sempre sinaliza para você ir para a parte mais longe do estacionamento. O fato de eles não indicarem quando há uma vaga disponível perdida no meio não é motivo de reclamação, mas o problema é que eles só mostram estas melhores vagas se pagarmos uma caixinha. Pagando uma caixinha, eles deixam você até estacionar na área para idosos ou deficientes.

Flagrei algumas vezes pessoas abrindo a janela do carro e dando dinheiro para estes funcionários do estacionamento, inclusive na área de deficientes, sem deficientes no carro. Flagrei jovens estacionando o carro na área para idosos sem nenhuma fiscalização.

Comparando com estacionamentos privados: no padrão do Anhembi custariam bem mais barato, ou se for para pagar caro, podemos falar de shopping center: vários andares, vagas cobertas, sem chuva e barro, sempre perto de um elevador.

Porque ainda não colocaram sensores nas vagas e sinalização indicando quantas vagas estão disponíveis em cada corredor ou área. Assim saberiamos exatamente onde estão as vagas e onde elas estão.

Infelizmente este é o retrato das empresas gerenciadas pelo governo, prefeitura, etc. Cheia de dificuldades, caras, não funcionam direito para você ter que pagar propina para não ficar perdido no meio do lixo.

Para onde que vai toda essa arrecadação com estacionamento do Anhembi? Eles já ganham muito dos organizadores de feiras, e muito mais com estacionamento. Posso afirmar que esta dinheirama não vai para investir na própria infraestrutura do local e bem estar dos expositores e convidados.

E olha que estamos falando (creio) do maior centro de exposição do Brasil, pelo menos onde as maiores feiras estão.

Brasil último colocado: altos impostos, nenhum retorno para a população. Governo rico, empresas sem lucro e população sem poder de compra.

Para qualquer empresário, não é novidade nenhuma saber que o Brasil é campeão dos impostos. Infelizmente a maioria da população não sabe na realidade quanto se paga de impostos sobre os produtos que compra, e ainda insiste que os produtos no Brasil são caros por causa das altas margens das empresas. Infelizmente quando o governo não reverte o alto recolhimento em impostos para a população, as empresas e o empreendedorismo são muito afetados. Afinal, a mão de obra fica desqualificada sem educação, doente sem acesso a tratamentos de saúde (tendo as empresas que oferecer planos de saúde privados), alto custo em vale transporte mesmo que ineficiente, etc. Da mesma maneira que a população não pode contar com nenhum serviço publico, as empresas ficam totalmente largadas. O governo não investe nem incentiva empresas inovadoras, não financia pesquisas e só defende empresas que financiam partidos políticos.

O pior é que o governo ainda faz milhões de campanhas para combater a sonegação, exigir notas fiscais, como se as empresas pagassem poucos impostos. Já somos campeão dos impostos no mundo mesmo tendo um monte de empresa sonegando, imagina se todos pagassem tudo certinho. Por isso que as empresas estão sempre na mão dos fiscais… nenhuma tem condições de pagar tudo certinho.

Imposto alto quer dizer que todos os produtos ficam caros e inacessíveis para a população e as empresas trabalham com margens mínimas para ficar com preços viáveis. Sem poder de compra, a população reclama que as empresas pagam salários baixos.

Não entendo quando vejo pesquisas de opinião dizendo e avaliando o governo como bom ou ótimo, mesmo nada funcionando. Não me refiro a partido X ou Y porque sempre foi a mesma merda. Hospital cheio sem médico nem leito, transporte público uma desgraça, estradas esburacadas, educação onde poucas escolas públicas se salvam, e por ai vai.

Não entendo como ainda existe gente que é contra a privatização do Brasil inteiro. Mas tem que privatizar e reduzir os impostos.

http://g1.globo.com/economia/noticia/2013/04/brasil-e-ultimo-colocado-em-ranking-sobre-pouco-retorno-dos-impostos.html

A corrupção é tão descarada no Brasil: as televisões mostram tudo com todos os detalhes, roubos milhonários, mas nada muda. Quem paga a conta são os empresários e população contribuinte.

A corrupção está muito descarada no Brasil. Todas as semanas os principais canais de televisão mostram os maiores escândalos, desvios de verba, licitações forjadas, tudo gravado em câmeras ocultas ou telefonemas, troca de favores entre partidos, etc. Tudo acaba em pizza. Ninguem é preso. Pelo contrário, continuam no poder e roubando cada vez mais. Nada serve como prova.

Nesta hora, descobrimos que apenas as pessoas que entrarem no esquema podem lucrar. Apenas empresas que pagarem dinheiro por fora, tem condições de se manter. Então se cria uma condição extrema para as empresas: o governo é obrigado a aumentar cada vez mais as arrecadações com impostos para cobrir toda esta roubalheira. Como a roubalheira é alta, fazem campanhas para justificar a criação de novos impostos para a saúde, educação e por ai vai.

A carga tributária fica totalmente impossível de ser paga pelas empresas, que em atitudes extremas são obrigadas a sonegarem os impostos ou pagar propinas para receber benefícios do governo e se manterem vivas. Este é um círculo vicioso sem fim.

As pequenas empresas ainda tem alguns benefícios, mas a medida que elas crescem, os custos e impostos crescem também, assim como fiscalizações e exigências que antes não acontecia. Ou seja, as pequenas não interessam ao governo corrupto pois geram pouco dinheiro e esta é uma das únicas maneiras de ficar fora do sistema de corrupção. Empresas médias e grandes em algum momento vão se deparar de frente com a corrupção: ou paga ou fecha a empresa. Qualquer empresário que cresceu um pouco sabe disso!

No final, as empresas pagam a conta tendo que sustentar o governo e também prover todos os direitos básicos aos funcionários (que deveriam ser providos pelo governo como saúde, educação, fundo de aposentadoria, etc.)

O governo transfere todas suas responsabilidades e despesas para a empresa

Como se não bastasse todos os impostos que os empresários pagam ao governo, eles ainda transferem mais custos para as costas das empresas. O atendimento em hospitais e prontos socorros públicos são um lixo. Uma empresa hoje é praticamente obrigada a oferecer plano de saúde privado aos seus empregados, custeando pelo menos uma parte disso, se quiser atrair os melhores profissionais. Outra grande carga que é transferida para a empresa é o custo com o FGTS e aviso prévio proporcional. O FGTS inclusive a multa na recisão, aviso prévio ampliado servem para proteger os trabalhadores e sustentá-los depois da demissão. Isto é função do governo. Por isso, ao invés de aumentar os custos de recisão, o governo deveria oferecer um seguro desemprego digno. Logo as empresas vão precisar pagar uma pensão vitalícia para os empregados demitidos como se fosse uma separação de casamento.

Quando um funcionário fica inapto para trabalhar com problemas de saúde por mais de 15 dias, o funcionário deve recorrer ao INSS. Primeiro acho que a empresa não deveria ter que custear 15 dias não produtivos de um funcionário… no máximo uns 5. Segundo que a burocracia do INSS é tão grande e demorada que agora os sindicatos estão exigindo que a empresa custeie estes dias de demora do INSS. São comuns os casos em que o INSS concede a alta médica dizendo que o funcionário pode voltar ao trabalho, mas o médico da empresa não o considera apto. Isso gera um impasse e constrangimento tanto para o funcionário como para a empresa. A empresa não pode correr o risco de aceitá-lo e acabar causando danos ainda maiores ao funcionário.

O plano de aposentadoria compulsorio do governo que desconta uma parcela de todos os funcionários e também da empresa é uma piada. Oferecem uma rentabilidade ridícula e depois os valores pagos na aposentadoria são irrisórios. Este plano não deveria ser compulsório e com certeza as empresas ou os próprios funcionários conseguiriam optar por planos privados mais interessantes e rentáveis.

Em breve vou publicar mais artigos mencionando outras responsabilidades que o governo joga para o empresario.