Brasil penúltimo em ranking de educação. Por isso que está impossível encontrar funcionários qualificados.

Mais um ranking evidencia o péssimo sistema educacional do Brasil. Penúltimo entre 50 países é ruim demais. Por isso, está impossível encontrar mão de obra qualificada. Está muito difícil contratar. Como não tem pessoal qualificado, as empresas estão contratando o que tem, e não o que gostariam ou o que precisam.

Ajudante geral e pessoas para serviços braçais existe de monte. O desemprego no Brasil está super baixo. Então mesmo quem tem pouca qualificação está super valorizado. Quem precisa contratar novos funcionários, não consegue encontrar profissionais ganhando a mesma faixa salarial de pouco tempo atrás. Os currículos de pessoas boas que recebo, já estão empregadas e/ou pedindo muito acima da média. Os currículos que sobram são pessoas morando muuuito longe e com grande rotatividade… ou seja, pessoas que não ficam mais de 6 meses em cada emprego. Isso significa que a pessoa não é boa ou fica “pulando muito de galho em galho”.

Sabemos também que existe dezenas de faculdades que não ensinam nada e formam analfabetos funcionais. Essas pessoas são enganadas pois gastam fortunas mas não saem preparadas. Ou seja, são funcionários que acham que merecem altos salários, mas na realidade não estão preparados para nada. São ajudantes gerais com diploma comprado.

Empresas como a minha não tem condições de acompanhar esta valorização dos salários pois meus preços de venda não subiram… pelo contrário, abaixaram meus preços pois a concorrência só aumenta e os importados também. Vejo empresas pequenas como a minha e também grandes empresas (algumas multinacionais) contratando pessoas totalmente despreparadas para ocupar cargos de supervisão… colocando pessoas sem conhecimento técnico para operar equipamentos completos ou fazer manutenção básica em máquinas. Sempre achei a melhor alternativa, contratar pessoas jovens e treiná-los por anos para ter pessoas qualificadas, pois se for depender da educação fora da empresa está difícil (nessas horas eu digo que o governo joga mais uma vez a responsabilidade para as empresas de arcar com custos de educação).

Pessoas comprometidas, interessadas e capacitadas para aprender está cada vez mais raro.

http://veja.abril.com.br/noticia/educacao/brasil-aparece-em-penultimo-em-ranking-de-educacao

38% dos universitários são analfabetos funcionais

Conhecendo as péssimas condições do nosso ensino fundamental, não me espanto em saber que 38% dos universitários são analfabetos funcionais. Não é minha intenção analisar os motivos ou o sistema de ensino brasileiro… todos já sabem os problemas e temos muita gente já fazendo esta análise.

http://primeiraedicao.com.br/noticia/2012/07/22/universitarios-brasileiros-sao-considerados-analfabetos-funcionais

O que me interessa é pensar como isso interfere na minha vida de empresário, na minha empresa e no mercado brasileiro. Estas estatísticas infelizmente comprovam o problema de qualquer empresa no Brasil: falta de profissionais qualificados no mercado. Temos uma grande massa desqualificada para exercerem funções básicas, e uma minoria de pessoas realmente qualificadas. Não existe um meio termo. Atualmente as pessoas qualificadas são uma minoria e por isso estão super valorizadas. Muitas empresas não tem condições de contratar este tipo de gente com seus altos salários. Por outro lado, temos muitas pessoas que aceitam receber baixos salários mas não atendem as necessidades das empresas. A alternativa que tenho visto ser a mais adotada é criar seus funcionários dentro da empresa, ou seja, contratar pessoas sem muita experiência e esperar alguns anos até que a “jóia” esteja lapidada.

Vemos então empresas e empregados incapazes de desenvolver novos produtos, trazer novas idéias, adotar altos padrões de qualidade e adotar de alta tecnologia. Sem profissionais qualificados, como podemos ter empresas de destaque no cenário internacional? O Brasil está acostumado com isso, por isso, estamos acostumados a comprar apenas pelo preço baixo, nunca esperando alta qualidade.

Este cenário de baixa educação deixa as empresas cheias de funcionários desmotivados e descontentes que sempre receberão baixos salários, sem perspectiva de crescimento. Da mesma maneira que falamos “vocë é o que você come”, podemos dizer que uma empresa é os funcionários que nela trabalham. Ou seja, nossas empresas também ficam com pouca perspectiva.

Tenho notado que muitas pessoas estão fazendo uma universidade apenas para ter o diploma e justificar um possível aumento de salário. Como empresário, tenho visto mutias pessoas que passam anos fazendo uma universidade, mas após esse período, não conseguem trazer absolutamente nada de novo para a empresa. As pessoas precisam saber aplicar na prática aquilo que aprenderam na teoria. Um pedaço de papel (diploma) não faz ninguem mais inteligente ou mais valioso. No final das contas, tudo o que este suposto “universitário” aprendeu, foi a própria empresa que ensinou ao longo dos anos, criando supervisores e chefes que mal sabem fazer uma regra de três, ou cálculos um pouco mais complexos para um planejamento correto.

Mesmo tendo funcionários que “deixam a desejar”, não podemos mandá-los embora pois sabemos que não encontraremos nada melhor.