A nova lei do e-commerce é positiva, mas discordo totalmente do prazo de 7 dias para desistência com frete a ser pago pelo empresário.

Novas exigências para o e-commerce são bem positivas para os empresários e também para os consumidores e conferem maior credibilidade às lojas virtuais, mas tem um ponto que discordo totalmente: o direito de desistência de 7 dias com custos de frete por conta do empresário.

http://startups.ig.com.br/2013/nova-lei-do-e-commerce-nao-deveria-ser-novidade-para-as-lojas-online/

Conforme o link acima, todas as lojas já deveriam estar adaptadas às novas leis. Eu como consumidor já tive muitas dificuldades com lojas virtuais que não divulgavam nem mesmo um telefone para contato. Isso é o mínimo.

O que discordo completamente é empurrar o custo do frete para o empresário. Conforme outros artigos meus aqui no blog, o custo de frete no Brasil é uma fortuna e no caso de desistência, o empresário paga o frete de ida e volta, além de ter que re-embalar o produto.

Se todos os produtos fossem do tamanho de um CD ou livro, tudo bem, porém temos que levar em consideração que hoje se compra tudo por internet: desde CD e livro, até geladeira e fogão.

Por que comprar numa loja virtual tem leis diferentes em relação a uma loja física? A lei já determina mencionar endereço da empresa, por isso, o consumidor tem a opção de visitar a loja e verificar o produto. Só não visita porque não quer. Não quer perder tempo nem custo de viagem. Toda loja virtual hoje exibe fotos de vários ângulos e todos os detalhes técnicos. Mesmo que não mencione todas as informações possíveis, basta digitar o nome e código do produto no google para aparecer dezenas de páginas, ou seja, falta de informação também não é desculpa para os tempos de internet que vivemos em que qualquer criança de 5 anos já usa com facilidade e faz todo tipo de pesquisa.

Vale salientar que o cliente por livre e espontânea vontade entrou no site e fez a compra. Diferente de um telemarketing que fica ligando e enchendo o saco tentando te empurrar um produto.

Outro ponto é que a maioria das compras que fazemos via internet são de produtos que alguém nos indicou ou vimos em algum lugar. Dificilmente alguém compra uma coisa e chega outra completamente diferente ou algo inesperado.

Tem uma venda que fiz para o interior do Sergipe. O produto custa R$350 e o frete ficou mais de R$50 pelo PAC. O cliente quer devolver sem ter qualquer defeito de fabricação e depois de falar bastante com minha vendedora. Agora vou ter que aceitar o produto de volta e ainda morrer com mais de R$100 de preju??

Muitas lojas virtuais são pequenos empresários tão duros quanto qualquer consumidor. R$100 é muito dinheiro de prejuízo. Não tem sentido empurrar custos ao empresário sem ter qualquer culpa no caso. Ainda mais pequenas empresas que concorrem com grandes empresas com margens bem apertadas.

Outro caso que acontece com certa frequencia é quando os correios não fazem entrega no destino por motivos de segurança/roubo e o cliente também não quer ir retirar na agencia dos correios. Mais uma vez, o custo fica com a empresa. Ou mesmo quando o cliente não está em casa e o Sedex faz todas as tentativas em vão e devolvem o pacote.

Uma loja virtual é uma excelente porta para empreendedorismo pois possui baixo custo de implantação e precisamos tornar isso um negócio atraente e não dificultar e desestimular a abertura de novos negócios.