Desemprego nunca esteve tão baixo e nunca fiquei tão dependente dos funcionarios.

Tenho escrito vários artigos das dificuldades de encontrar mão de obra qualificada por um preço não muito acima dos praticados em anos anteriores. Os funcionários e sindicatos exigindo salários muito mais altos do que pouco tempo atrás, enquanto os preços dos meus produtos pouco subiram.

Estou passando especificamente esta semana com um problema que se repete cada vez com mais frequência. Funcionários arrumando brigas com seus colegas “desafetos”, estou recebendo vários tipos de atestados médicos (que não posso recusar) por mais absurdo que pareçam, faltas não justificadas, atrasos, pouca dedicação e corpo mole.

Contratamos uma funcionaria há vários dias que ate hoje fica inventando desculpa para não trazer a carteira de trabalho para registro. Quando a empresa não devolve a carteira de trabalho em 48 horas, pode tomar todo tipo de multa, agora funcionário que desobedece leis nunca acontece nada. A primeira dica que todos me falam seria dispensar a funcionaria já que ela não esta respeitando a lei, ou mandar os funcionários encrenqueiros embora. Mas dependemos tanto deles, seja pelo conhecimento e entrosamento adquirido ao longo dos anos, ou mesmo pelo trabalho de contratar outra pessoa e treina-la. Em suma, ruim com eles, pior sem eles. O que adianta mandar embora e contratar outro que vai ser igual ou pior… São funcionários que ficam pingando de empresa em empresa, nunca permanecendo por mais de 1 ano em cada emprego, achando que vai ter alguma empresa “melhor” que vá pagar mais ou oferecer condições muito diferentes.

Isso atingiu um nível epidêmico que deixa a maioria das pequenas e medias empresas do Brasil muito pouco produtivas, com funcionários descontentes, formando um circulo vicioso de baixos lucros e baixos salários enquanto o custo de vida de toda população aumenta de maneira galopante.

O Brasil está cheio de nem-nem. Nem estuda, nem trabalha. Isso significa mão de obra ociosa e desqualificada.

A falta de mão de obra no Brasil esta crítica. Mesmo a mão de obra desqualificada não se encontra mais e pedem salarios muito maiores do que tempo atrás. Pessoas que param de estudar depois de concluir o segundo grau, quando concluem ! Quando eu vejo uma noticia que o Brasil tem um quinto de jovens nem-nem, entendo um dos porquês. Vivem como se não precisassem trabalhar, não querem estudar nem se preparar, nao tem ambição de crescer na vida… uma desmotivação nata sobrevivendo do jeitinho brasileiro. Não sei se essas pessoas não querem trabalhar para serem sustentados pela familia, pelo marido ou pelas bolsas do governo. Uma pessoa que não estuda nem trabalha que não conseguiu emprego até seus 30 anos, provavelmente não vai conseguir ou querer trabalhar, afinal depois dos 30 anos, as pessoas sem experiência não vão receber boas propostas de emprego e vão dizer que “não querem se sujeitar” a isso. Pensando que cada ano que passa, o mundo fica mais competitivo, mais pessoas entram para o mercado de trabalho, mais chineses nascem… e o Brasil ficando para trás novamente vendo uma noticia dessas. Depois brasileiro reclama que o Brasil não evolui, ganha pouco e não tem perspectiva de crescimento. Isso vira cada vez mais verdade, até não ter mais volta e o brasileiro vai ter que ralar cada vez mais para sair do buraco.

http://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2013/11/29/um-em-cada-cinco-jovens-de-15-a-29-anos-nao-estuda-nem-trabalha-diz-ibge.htm

Reintegração dos 850 demitidos da Gol/Webjet não faz sentido.

Estão alegando que não houve negociação prévia com o Sindicato para a demissão dos 850 demitidos da Webjet. Se o Sindicato se propuser a pagar os salários destes demitidos, eu tenho certeza que a Webjet recontrata. Para que consultar o Sindicato, se todos já sabem que eles farão de tudo para impedir as demissões? O dinheiro referente a estes salários vão sair do bolso da empresa, portanto qualquer empresa privada deve ter o direito de pagar quem deseja, ou demitir se achar melhor. Empresas privadas não precisam dar justificativa nenhuma sobre qualquer demissão. Sendo empresa a beira da falência ou muito lucrativa, a empresa tem que ser livre para demitir e contratar quando bem entender.

A CLT e o governo já impõe diversas verbas rescisórias para proteger os empregados demitidos. Pagando todas estas verbas, a empresa não fica devendo nada para ninguém.

Quando uma empresa vai a falência, não tem governo nem sindicato nem porra nenhuma para ir pagar as contas. Os impostos no Brasil já são os mais altos do mundo. Então nada mais justo do que empresas privadas terem o direito de escolher onde quer gastar seu dinheiro.

A demissão em massa é sem dúvida algo complicado para todas estas famílias, mas é função do governo sustentar estes recém desempregados. Por que não libera uma verba para aumentar o seguro desemprego nestes casos??

Empresas públicas ou privadas precisam de liberdade e autonomia para permanecerem competitivas. Afinal, vivemos num mundo que prega a livre concorrência, ou seja, dezenas de concorrentes sempre pensando como ganhar mercado e devorar os concorrentes.

Como vai ficar o clima, a produtividade e a situação psicológica de todos estas pessoas que estão sendo admitidas a força?? Vão ficar apenas esperando serem mandadas embora de novo?? Terão alguma tarefa lá dentro?

http://economia.uol.com.br/ultimas-noticias/redacao/2012/12/18/justica-do-trabalho-da-oito-dias-para-a-gol-recontratar-demitidos-da-webjet.jhtm

Hiprocrisia de quem compra produto Made in China, mas reclama do desemprego e quebra das indústrias nacionais !

A invasão de produtos chineses no Brasil e no mundo é tema frequente no mundo empresarial e também na vida de todos consumidores brasileiros. Ouço cada vez mais as pessoas criticando esta invasão de produtos chineses que tiram o emprego de milhares de brasileiros e destroem nossas fábricas. Isso é fato. Mas são estes mesmos hipócritas que compram cada vez mais produtos chineses no Brasil. Seja em grandes lojas, no centro, na Internet, na maioria das vezes temos a opção de comprar um produto nacional ou um produto importado. E como sabemos aquele feito na China vai ser mais barato, e muitas vezes (mas nem sempre) de qualidade inferior ou duvidosa. Ou seja, brasileiro só quer saber de preço baixo e troca produtos brasileiros renomados por marcas chinesas completamente desconhecidas, com acabamento pior e que não gera empregos na indústria brasileira.

Não devemos em hipótese alguma culpar o importador deste produto ou o empresário nacional por trocar seus empregados brasileiros pela terceirização de produção na China. Quem manda no mercado é o consumidor. Empresa que não oferece o produto que o consumidor procura, acaba fechando. Nenhuma empresa sobrevive contrariando a vontade do consumidor.

A liberdade de escolha do consumidor é o grande direito adquirido pelo capitalismo. Então o empresário deveria ter a mesma liberdade de poder escolher o que oferecer a seus clientes. Se o cliente quer produto chines barato, então vamos todos importar da China.

Estou indo viajar para a Feira de Cantão na China para aumentar minhas importações da China. Isso vai abrir muitas portas, muitas oportunidades para minha empresa, já que meus maiores concorrentes já fazem o mesmo e estou perdendo cada vez mais terreno.