Creches públicas: mais uma responsabilidade que o governo quer transferir aos empresários (entre várias outras).

Em vários dos meus artigos eu menciono o excesso de obrigações que o governo transfere para o empresário. Os serviços públicos são tão ruins que as empresas são praticamente obrigadas a arcar com vários custos extras (mais detalhes no final).

Agora a prefeitura quer “convocar” empresas “com responsabilidade social” para criar e manter creches com atendimento público. Ou seja, cada vez mais pagamos impostos e cada vez mais o governo tira o corpo fora sem oferecer serviços públicos de qualidade.

Sou totalmente a favor da privatização de todos os serviços públicos no Brasil porque aqui nada público funciona. Quer dizer, até pode funcionar mas com muita corrupção. Só que uma empresa privada ter que se especializar em um ramo de atividade totalmente diferente para poder ser considerada “com responsabilidade social” já é demais. Qualquer empresa no Brasil já tem “responsabilidade social” por conceito. Geramos empregos, cumprimos uma CLT cheia de benesses, férias remuneradas, e cumpre funções que deveriam ser do Estado.

http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,prefeitura-quer-que-empresa-faca-creche-,988491,0.htm

Seguem abaixo alguns custos que recaem sobre as empresas:

pagar por educação e saúde aos funcionários (plano de saúde e cursos extras), custear os dias de falta por motivo de saúde do funcionário (pagar funcionário que não produz deveria ser pago pelo governo e atualmente o INSS começa a pagar apenas após 15 dias), custear um dia de folga para doação de sangue, pagar um aviso prévio longo e fundo de garantia alto (que deveria ser função do seguro desemprego do governo), previdencia privada porque a pública não garante aposentadoria digna, meia entrada para estudantes, curso de idiomas, empréstimos financeiros (o governo não ofecere opções sem cobrar juros exorbitantes), onibus fretados/veículo/gasolina pois o transporte público é precário, segurança para seus funcionários-clientes-mercadorias (seguros, segurança, alarme, grades, cameras), altos pedágios pois as rodovias públicas são terríveis, diversos tipos de estabilidade para o trabalhador (gravidez, saúde, recrutamento militar, CIPA, entre outros). proibição de mandar funcionários embora (mesmo pagando todos os direitos como no caso da Gol-Webjet, GM, etc).

Depois de mostrar várias obrigações e custos que as empresas tem hoje, podemos dizer que todas as empresas tem “responsabilidade social” e que mais ninguem (nem o governo) oferece tanta coisa para a população ou tem tanta responsabilidade.

Minhas empresas com total de 60 funcionários pagaram R$1, 2 milhões em impostos! Imagina quanto poderia ser feito com tudo isso!

Fechei o balanço de 2012 com um número alarmante. Somando todas as guias efetivamente pagas, nos 12 meses, paguei um pouco mais de R$1,2 milhões em impostos. Se estes valores retornassem para cada um de meus quase 60 funcionários, teriamos em torno de R$1.700 por mês para cada funcionário. Supondo que 50% deste valor fosse retido para o funcionário, teriamos R$850 por mes. Neste valor, podemos facilmente pagar um plano de saúde coletivo, educação, uma parcela de um financiamento de uma casa popular, ou seja, oferecer tudo que o governo deveria conceder, mas não dá nada! Ainda sobraria mais 50% para reverter ao resto da população. Não estou falando de uma vida de luxo, mas uma qualidade muito acima do que estamos acostumados na rede pública. Isto cobriria todas as necessidades básicas das famílias que trabalham comigo.

Quando ouço que o desemprego no Brasil está em 5%, imagino o quanto de dinheiro está vazando ralo abaixo se cada funcionário representar isso tudo de impostos.

Tenho certeza que meus funcionários, nem a maioria da população faz ideia de todos estes impostos que são pagos pelos empresários. Temos que levar em conta que além disso, todas as pessoas físicas também pagam impostos, através do imposto de renda ou todos os impostos embutidos nos produtos que compramos, IPTU, IPVA, e todos aqueles impostos que estamos acostumados.

Posso garantir que o governo levou a maior fatia do bolo. Mais do que todos meus funcionários, mais do que todos os sócios, mais do que todos meus fornecedores. O governo é nosso sócio majoritário, mas tipo “funcionário fantasma” que nunca aparece e só recebe o contra cheque no final do mes. Não temos lucro, nem condições de fazer investimentos. Vejo pequenas, médias e grandes empresas que mais parecem puxadinhos, funcionários espremidos, estoques subdimensionados, muitas paredes sem uma pintura bem conservada, telhados velhos, muitas funcionando sob lonas baratas, divisórias de papelão, e por ai vai.

Isso é comunismo ou socialismo, quando o governo leva tudo. E infelizmente a máquina do governo é totalmente ineficiente e corrupta, e não reverte nada para a sociedade.

E ainda ficam lançando campanhas contra sonegação fiscal e “exija sua nota fiscal”… querem ganhar mais ainda??? Assim não sobra pra ninguem, nem para os empresários, nem para os funcionários.

Combustível de avião também o mais caro do mundo??? Tudo no Brasil é o mais caro do mundo !!

Não é possível que no Brasil tudo seja o mais caro do mundo !?!?! Ou é o mais caro ou é o pior ! Estou falando de itens básicos para a população e principalmente itens da base da economia que afeta o desenvolvimento de todas as empresas e também do país. A materia abaixo diz que o custo de combustível de avião (querosene) custa R$ 2,65 no Brasil e R$1,85 na Argentina. O preço nos EUA é 40% mais baixo e ficamos atrás mesmo de países em guerra como o Afeganistão, que em teoria são situações caóticas ao extremo.

Ou seja, em coisas que eu nunca imaginei (ou nunca lembrei), o Brasil também está atrás no ranking mundial.

Só para lembrar, estamos em penultimo em ranking de educação, eletricidade mais cara do mundo, aeroportos subdimensionados, pouco metro…

http://www1.folha.uol.com.br/mercado/1197389-combustivel-faz-voo-para-nordeste-ficar-mais-caro-do-que-para-argentina.shtml

Carga tributária bate recorde. Como pagar bons salários e investir na empresa e desenvolvimento se o governo pega todo o lucro?

Infelizmente esta notícia aparece todos os anos na seqüência. A carga tributária bate recorde. Como empresário e também cidadão sempre soube disso e não precisa de uma notícia de jornal para me dizer isso. Infelizmente a grande maioria da população não sabe o quanto as empresas tem que pagar de impostos. Muitos impostos pagos e nenhum retorno nem para empresas nem para a população. Pais sem nenhuma infra estrutura para negócios, nem saúde, nem educação, sem transporte, sem futuro !!

Como uma empresa pode pagar bons salários, investir em modernidade, desenvolver novos produtos se o governo rouba todo o lucro e ainda não dá nenhuma condição para competirmos com empresas de fora ??? Nós empresários somos obrigados a cortar tudo que não é estritamente necessário. Por isso as empresas ficam rastejando para sobreviver e muitas vezes sonegar impostos para não falir de vez!

Toda pessoa física tem uma mordida bem grande no imposto de renda. As pessoas jurídicas tem todos os meses e ainda compramos matérias primas caras pois já tem muito imposto embutido.

35% do PIB é imposto da Suécia (um dos países mais desenvolvidos com melhores indices em qualquer ranking) com serviços sociais comparado aos países mais pobres da Africa. Até quando??

http://www1.folha.uol.com.br/mercado/1193286-carga-tributaria-vai-a-35-do-pib-em-2011-e-bate-recorde.shtml

Vergonha ver que brasileiros mal falem inglês (e mal falem português) !!!

Viajando para a China, fiquei impressionado no crescente número de pessoas que falam inglês. Já estudei mandarin por mais de um ano, por isso, eu sei o quanto é difícil para eles aprenderem inglês. Mesmo assim, eles aprendem. O inglês já faz parte do ensino fundamental na China, portanto, após a graduação, eles já falam bem inglês sem necessidade de cursinhos extras.

Olhando para o Brasil, as pessoas aprendem inglês desde a infância na escola, colégio e faculdade. Mesmo estudando por mais de 10 anos, uma minoria tem condições de manter uma conversação básica com um estrangeiro. Muitos fazem cursinhos extras por vários anos, mesmo assim, pouco evoluem. Conheço pessoas que fazem curso de inglês a vida toda, mas parecem iniciantes.

Estive pensando a causa disso… Primeiro, nossa educação nas escolas é uma porcaria. Tanto a escola pública como muitas particulares ensinam apenas o verbo “to be” todos os anos, e os professores sempre dão um jeito do aluno passar de ano. Ou seja, nunca vi ninguém repetir de ano por não atingir a média de inglês.

Outro ponto é falta de interesse dos alunos. Inglês é muito fácil comparado com qualquer idioma e a maioria das pessoas não se esforçam. Falta interesse mesmo, ou vergonha na cara. Muitos fazem cursos de inglês porque os pais querem, mas ficam com a cabeça em outro lugar. Depois que a vida profissional começa fica mais difícil de encontrar tempo para fazer cursos e estudar.

Outro ponto é que realmente o inglês não é tão utilizado no Brasil como em outros países. O Brasil vive em uma bolha artificial… o Brasil é uma ilha…altos impostos e uma ineficiência tal que poucas empresas tem condições de exportar. Como as alíquotas de importação são altas e temos uma indústria desenvolvida, não importamos tantos produtos. Ou seja, por que aprender inglês se as empresas não precisam contatar estrangeiros??? Não conseguimos exportar e importamos pouco.

Brasil: funcionários desqualificados, caros e menos produtivos.

Já publiquei outros artigos falando exatamente a mesma coisa, porém agora quem fala isso é um brasileiro com experiência em empresa multinacional e especialista no assunto. Infelizmente a grande maioria da população brasileira não faz a menor idéia como são outros países e acabam falando um monte de coisa sem sentido.

http://economia.ig.com.br/empresas/2012-10-29/alguem-vai-fazer-melhor-e-mais-barato-em-algum-lugar.html

O Brasil está crescendo pouco, mesmo sendo considerados a bola da vez, e acaba ficando muito atrás não só dos países desenvolvidos, mas também atrás de outros países do “terceiro mundo”.

Nossos funcionários são desqualificados, recebem salários altos, as empresas enfrentam altos encargos trabalhistas, são menos produtivos, além da falta de infraestrutura do país. O pior é saber que a falta de planejamento do país e investimento em educação, este cenário não deve mudar por bastante tempo.

Conclusão: estamos ficando para trás e não há perspectiva de melhora a curto prazo.

Aumentar impostos de importação é esconder o sol com a peneira !

De acordo com esta noticia que li no IG, o governo vai elevar os impostos de importação de 100 produtos.

http://economia.ig.com.br/2012-09-04/governo-sobe-imposto-de-importacao-de-100-produtos.html

Esta é a medida que não requer nenhum esforço do governo… uma canetada e está tudo pronto. Todos os impostos no Brasil já são altos. Importar qualquer produto, por mais baixo que seja o imposto de importação, já custa bastante. O que o governo sempre fez foi tapar o sol com a peneira. Transformar o Brasil em uma bolha contra produtos importados não vai resolver o problema. Apesar de dar um fôlego extra a indústria nacional e manter alguns empregos, isto apenas irá retirar a opção do consumidor por produtos importados que muitas vezes oferecem qualidade diferenciada. Isso irá apenas manter o Brasil com produtos na idade da pedra.

Se realmente o governo quer incentivar a indústria nacional (como a minha), ele deve reduzir os impostos dos produtos fabricados no Brasil, incentivar o investimento em maquinário para modernização do nosso parque industrial e dar condições para nossa indústria brigar no mercado mundial, mesmo com produtos importados da China.

Esta atitude do governo isola o Brasil no mercado mundial, e também, sem incentivar a modernização das indústrias, nunca conseguirão exportar e crescer mundialmente. Se a indústria nacional não consegue competir com importados dentro do nosso próprio quintal, como iremos ter condições de exportar nossos produtos para qualquer outro país.

Chega de políticas imediatistas e burras.

Brasil campeão das estradas com pedágios

Conforme vemos na publicação do Estado de São Paulo, o Brasil é campeão mundial das estradas com pedágios. (http://economia.estadao.com.br/noticias/economia,brasil-lidera-o-ranking-das-rodovias-com-pedagio-no-mundo,123837,0.htm)

Para um pais com a extensão territorial do Brasil, poderia ser normal estar perto do topo, mas vemos que apenas 12% das nossas vias são asfaltadas.

Tudo isso entra no bolo do Custo Brasil. Ou seja, todas os produtos ou matérias primas que compramos já são mais caros devido ao elevado custo do frete no Brasil.

Isso mostra que nosso governo não tem capacidade de administrar nada neste país. Sem privatização, continuaremos tendo estradas sofríveis, quando não forem de terra.

Neste país da palhaçada, o correto seria termos estradas públicas de qualidade (e opções de estradas pedagiadas como ocorre nos EUA). Agora, prefiro ter estradas boas com pedágios altos, do que não privatizar e continuar tudo uma merda. Infelizmente é assim. Pelo menos assim, cidades mais afastadas terão acesso aos mesmos serviços e produtos disponíveis nas capitais.

Forbes publica que preço de carros no Brasil é absurdo. Na verdade todos produtos são caros.

A Forbes publicou um artigo dizendo que uma Cherokee no Brasil custa USD 90.000 e por lá custa 3 vezes menos.

http://veja.abril.com.br/noticia/economia/para-forbes-preco-de-jeep-cherokee-no-brasil-e-ridiculo

Isso nós brasileiros já sabemos há decadas. E não só os carros. Tudo por aqui custa o dobro ou o triplo. Os únicos produtos que não custam o dobro são aqueles que o governo oferece um MEGA-subsidio. Por exemplo, o preço de computadores no Brasil era absurdo. Depois que o governo concedeu vários benefícios, a venda de computadores explodiu e os preços hoje estão “justos”. Mesmo nesta situação quando viajamos para os Estados Unidos, vemos laptops mais baratos e muito mais potentes.

Como sempre falei… os impostos no Brasil são gigantescos e os custos para ter uma empresa no Brasil também. Todos os produtos enfrentam forte concorrencia de fabricantes nacionais e já existem sempre importadores trazendo produtos da China, ou seja, a alta concorrência em todos os mercados impedem qualquer empresa ter uma margem que possa ser chamada de “abusiva”.

O fato de tudo custar o tripo é ruim para toda a população, mas também para as empresas que tem que investir o triplo para comprar qualquer coisa para sua fábrica. Uma empresa precisa de tudo: móveis, iluminação, construção, fiação elétrica, computadores, uniformes… tudo custa muito caro. Por isso, é impossível exportar, a população não consegue comprar nada, as empresas não vendem, a economia trava.

Eletricidade no Brasil entre as mais caras do mundo: famoso Custo Brasil

Fiquei mais uma vez surpreso e revoltado em ouvir que o custo da energia elétrica no Brasil está entre as mais caras do mundo… em algum lugar ouvi até que seria a segunda mais cara do mundo !!! Um país cheio de hidroelétricas, que são consideradas a forma mais barata e limpa de gerar energia, não pode ocupar mais uma vez uma posição medíocre e vergonhoza neste ranking. E comparando com os outros paises emergentes de destaque (os Brics) nossos custos superam 130%. Vemos realmente que entre os Brics, o Brasil é aquele que está mais longe de poder chegar a ser um pais considerado “desenvolvido”.

O preço da energia elétrica influencia o custo de todos os produtos, gerando mais uma vez, um efeito cascata nos preços de toda a cadeia produtiva até o consumidor final. Este é mais um capítulo do famoso Custo Brasil. A cada dia descubro novos números bizonhos do Brasil e problemas estruturais que tornam o Brasil um país com competitividade zero.

Com custo de energia alto, impostos elevados, encargos trabalhistas altos, sistema de transporte caro, e sistema educacional entre os piores do mundo que não formam pessoas capacitadas, o custo final de qualquer produto fica muito alto, empresas são obrigadas a trabalhar com margens de lucro minúsculas (para manter alguma competitividade e viabilidade), pagar salários cada vez menores, focar a redução de custos usando produtos de baixa qualidade, ou seja, ruim para todos.

Por isso, nosso país só é competitivo nos produtos em que a natureza deu uma ajuda: produtos agrícolas e recursos minerais. Até quando o Brasil será um pais que só sabe exportar soja, laranja e minérios??

http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2011-08-10/custo-da-energia-para-industria-no-brasil-e-50-mais-alto-que-em-outros-paises-mostra-estudo-da-firjan