Custo do Boleto e custo do cartão de crédito deveriam ser repassados aos clientes.

A lei impede que uma loja/empresa cobre o custo do boleto ou taxa do cartão de crédito do cliente. Isso a primeira vista pode parecer correto na teoria, mas muitas teorias ficam inválidas quando observamos o lado prático. Vou mencionar algumas situações:

a) A taxa de emissão de boleto cobrado pelos bancos podem variar de R$3 a R$6 em média. Para a venda de um produto que custa acima de R$1.000, realmente o valor de emissão de boleto fica irrisório. Porém, quando falamos de produtos que custam R$20 ou mesmo R$50, o valor do boleto é significativo. Com as vendas via internet (on-line), as pessoas estão comprando de tudo e cada vez mais. Inclusive itens super baratos. Nestes casos, o custo do boleto passa a ser significativo. Minha empresa vende um produto que custa R$200, e meus clientes pedem as vezes para emitir 2 ou 3 boletos. Muitas empresas não usam cartão de crédito para suas compras corporativas, por isso, quando pedem para parcelar, ou trabalhamos com boleto bancário ou depósito em conta. Sabemos que o boleto é muito mais prático. Imaginem então um cliente que solicitam pagamento em 3 parcelas, ou seja, 3 emissões de boleto…

b) As taxas de cartão de crédito estão na faixa de 4% sobre o valor da compra e 2% para compras no cartão de débito. Sendo que cada bandeira (Visa, Master, etc) pode cobrar taxas diferenciadas. Como estes percentuais sempre são pagos pelas empresas, a população em geral não faz a menor idéia destes custos, e portanto, as operadoras dos cartões não sofrem muita pressão. Se os clientes soubessem e pagassem pelas taxas dos cartões, com certeza, todos iriam querer aderir aos cartões com taxas menores e boicotar os cartões com taxas maiores. Seria melhor para as empresas e para a população. O ponto que acho ridículo e prova que esta lei é uma furada: todo mundo sabe que pode pedir desconto para pagamento a vista em dinheiro e acha isso normal. Ou seja, na prática, o cliente está pagando pela taxa da cartão e o vendedor retira a taxa quando paga-se em dinheiro. Considerando que todo mundo deseja sempre pagar o menor valor possível, seria mais inteligente as lojas poderem colocar os preços nas etiquetas sem a taxa do cartão, e depois dentro da loja decidir como quer pagar, podendo escolher inclusive o cartão de crédito que vai ofecerecer a menor taxa. Com certeza as operadoras de cartão iriam reduzir suas taxas pois os clientes iriam priorizar as opções com menores taxas.

Um último ponto a levantar: já vi muitos estabelecimentos que não aceitam cartão de crédito devido as suas altas taxas (ou aceitam apenas o débito) e ainda colocam um aviso culpando as administradoras de cartão. Outra coisa comum é ver nas padarias que não aceitam venda de cigarros no cartão de crédito. Creio que a margem do cigarro é bem baixa e vender no cartão acaba dando prejuízo. Quem perde nesta história é o consumidor que fica sem a opção de usar o cartão, e assim como eu, existem muitas pessoas que usam o cartão de crédito para tudo, inclusive em viagens onde não queremos levar muito dinheiro e cheques são pouco aceitos.