Isonomia e Discriminação quando pagamos um beneficio a um funcionário e não a outros. A lei nunca beneficia a meritocracia e sim as promoções automáticas!

Recentemente um funcionário da empresa me comentou que recebeu uma proposta de emprego em outra empresa. Além de um salário um pouco maior, ele receberia plano de saúde melhor, vale refeição e poderia ficar com o carro da empresa mesmo nos finais de semana.

Não tenho condições de alcancar a proposta oferecida pela outra empresa, mas poderia oferecer um plano de saude diferenciado (em relação ao que ele tinha atualmente) e um valor refeição. Não só o vale refeição, mas também o uso do carro para uso particular é complexo, pois poderá gerar reclamação trabalhista posterior pedindo natureza salarial sobre estes benefícios.

Neste momento, realizando a pesquisa na Internet (e também experiencias e comentários anteriores), localizei vários artigos mencionando ações indenizatórias quando oferecemos benefícios diferenciados para cada funcionário. Neste ano mesmo, um funcionário meu colocou um processo trabalhista pedindo um valor altíssimo referente a danos morais pois alguns funcionários haviam recebido uma premiação no final do ano e ele não. O prêmio foi de R$500, e por isso, ele pedia 100 vezes o valor, ou seja, exigia o pagamento de R$50.000. Só de saber que um funcionário e um advogado tem o direito e a cara de pau de pedir R$50.000, já me sinto injustiçado e vejo como os empresários ficam a mercê da lei, podendo eles exigirem valores desproporcionais, completamente fora da realidade.

Então se eu oferecer um vale refeição para uma pessoa, serei obrigado a dar o mesmo benefício para todos os outros funcionários? Nunca prometi vale-refeição para nenhum funcionário, e agora todos se acham no direito de recebê-lo?? Quando forem embora vai colocar-me um processo trabalhista, não só querendo receber os valores retroativos do vale-refeição como também décimo terceiro, férias e todos encargos trabalhistas??

Essa é a fórmula para R$100 por mês, se transformar num processo trabalhista de mais de R$10.000 após alguns anos (por funcionário que entrar na justiça).

Porto de Vitória e Itajaí oferece benefícios gigantescos para importadores.

Acho injusto que estados possam oferecer benefícios tão grandes a empresas importadoras. Os portos de Vitória e Itajaí atraem novas empresas oferecendo gritantes benefícios no ICMS. As cargas tributárias no Brasil são tão altas que qualquer pequeno incentivo já representa muita coisa. Empresas maiores sempre tem condições de abrir escritórios de fachada para obter estes benefícios. Hoje é Vitória e Itajaí, amanhã poderá ser qualquer outro porto do Brasil. Minha empresa que não é grande, nunca terá condições de ficar fazendo esta dança de cadeiras, abrindo e fechando escritórios a medida que os benefícios vem e vão. Não acredito que estes benefícios trouxeram efetivo desenvolvimento para estas regiões pois como falei, são apenas escritórios de fachada, onde os lucros e a geração de empregos ocorre em outros estados onde fica a verdadeira sede da empresa.