Venda dos Números de Códigos de Barras são máfias no Brasil

Colocar os códigos de barras EAN/GTIN (com 13 números normalmente) nos produtos é uma exigência natural para todas as empresas (fabricantes ou importadoras) que crescem um pouco e começam a trabalhar com revendas. A legislação já exige que esta numeração seja inclusa em toda fiscal nota. Este número identificará seu produto no mundo todo de forma exclusiva, então todo produto e cada variação do mesmo produto deve ter um número diferente. Pesquisei na internet como comprar estes números e fiquei surpreso com o alto custo para se adquirir um numero para sua empresa. No Brasil, a empresa GS1 diz ser uma associação “sem fins lucrativos” e parece ter sido a primeira neste segmento. Fiquei surpreso ao ver que eles cobram taxa de inscrição de R$469, um primeiro pagamento de R$639 e depois anuidade de R$341 (faturamento abaixo de R$300.000) a R$3339. Que absurdo de valor é esse!!??? Estou chegando agora e já querem que eu pague todos os anos para manter meus números? Se eu deixar de pagar, todos meus números ficam inválidos e todas minhas embalagens que já constam meus números e etiquetas ficam obsoletas?

Achei outro site que vende códigos também (EAN13). Estes não cobram anuidade mas cobram R$400 por míseros 5 números? Quase R$100 por número. Além destes 2 sites, encontrei outros poucos cobrando a mesma faixa de valores e outros muito feios que dá até medo de comprar, afinal quem vai garantir que seu número será oficialmente registrado e não chegará mais ninguém no futuro alegando ser o verdadeiro dono?

A alternativa que encontrei foi comprar números em sites de fora do Brasil, onde posso comprar 100 números por USD 45 (dólares). Muitos já falaram bem destes sites e dizem que funcionam de verdade apesar dos sites ditos “oficiais” inventarem histórias para colocar medo nos brasileiros. Seu código terá uma numeração americana (e não brasileira), mas isso não tem nenhum problema legal.

Não sei se em todos os países do mundo é tão caro comprar esses números, mas caramba, acabei de encontrar mais um “Custo-Brasil”, além de tantos outros que já temos.

Esta máfia dos códigos de barras é parecida com as homologadoras de Anatel e Inmetro. São todas organizações sem fins lucrativos que cobram fortunas para você ter um selo de qualidade (conforme meu artigo https://empresarioheroi.com/2013/04/11/certificacoes-inmetro-anatel-entre-outros-deveriam-ser-subsidiados-pelo-governo-ou-financiados-para-incentivar-empreendedorismo-e-inovacao/)

Na realidade é bem pior pois nos casos da Anatel/Inmetro são necessários vários testes laboratoriais e análises técnicas. No caso dos códigos de barras, o único custo envolvido destas associações e organizações é manter um website de vendas online e o banco de dados com os números vendidos e seus respectivos detentores. Está na hora de Uberizar este sistema também.