Pior do que contratar parentes e amigos SEUS para trabalhar na sua empresa é contratar parentes do SEU SÓCIO.

Mesmo ouvindo várias vezes o provérbio “amigos, amigos, negócios à parte”, várias vezes nos deparamos com situações em que não sabemos como dizer “NÃO” para alguém. Emprestar dinheiro é uma situação típica. Dizer “não” logo de cara dificilmente vai fazer você perder o amigo, mas se você emprestar, tudo pode acontecer. Em muitos casos em que o dinheiro não é devolvido, o cara mau vai ser você que emprestou. Na média, acabei tendo poucos problemas nos meus empréstimos, mas essa história merece um artigo exclusivo.

Esse artigo relata uma péssima experiência minha e tenta convencer você empresário a dizer “não” sempre que seu sócio tentar te convencer a contratar um parente dele. Se for filho/a, não pense duas vezes. Esta pessoa provavelmente: tem pouca ou nenhuma experiência na área da sua empresa, não tem a qualificação que você exigiria se fosse através de uma contratação normal, não tem estabilidade nos empregos anteriores e também sempre ganhavam mal.

Provavelmente este convite vai surgir em um momento em que a empresa não está passando por uma grave crise, ou seja, tem algum dinheiro em caixa. A seguir comento o que acontece: este parente que você acreditava que era fraco, é fraco mesmo; ele será protegido internamente pelo sócio e vai desestabilizar o ambiente de trabalho desagradando os demais funcionários (alguns vão reclamar abertamente, outros ficam com medo de comentar); vão surgir problemas que antes não aconteciam com clientes, fornecedores, internamente e nas áreas em que este parente atuar sobrecarregando os demais; ele vai achar que trabalha muito e ganha pouco, e você acha que paga muito para quem só atrapalha. Logo esta pessoa vai se achar a dona da empresa e arrumar problema com você que é de fato sócio/dono. Esta situação vai ser tolerada até o momento em que o caixa da empresa cair (estamos sujeitos a queda no faturamento a qualquer momento). Você achava que poderia demitir esta pessoa a qualquer momento se não desse certo, mesmo conversando isso com seu sócio e o parente durante a contratação. Pronto, o cenário de briga está formado, mas o que antes era 1 contra 1 (se for apenas 2 sócios), agora são 2 contra você e mesmo que o parente não esteja no contrato social, ele vai te dar trabalho, vai falar mal de você e deixar o clima bem pesado. Qualquer que seja o desfecho da história, ela poderia ser evitada se la atrás você tivesse dito “não”, menos briga, menos dinheiro jogado fora. Se você quiser ter problemas em dobro, você propõe: “se voce colocar seu filho, eu também coloco o meu filho e ficamos empatados”.

Se acontecer isso com você, envie este artigo para seu sócio !!! Diga apenas que é uma situação difícil para você e quer evitar problemas futuros e já sabe de histórias que isso não acaba bem.