Furtos dentro das empresas aumentam enquanto empresas são condenadas por pedir certidão de antecedentes criminais.

Isso não é novidade para mim, mas fiquei novamente revoltado em ver uma decisão do TST de multar a empresa Alpargatas por pedir uma certidão de antecedentes criminais durante a contratação.

http://www.jornaldaordem.com.br/noticia_ler.php?id=33719

Está cada vez mais comum o furto de objetos pessoais dentro das empresas. São funcionários roubando funcionários ou a própria empresa. Infelizmente a insegurança no pais inteiro está refletindo fortemente dentro das empresas. Ninguém mais pode confiar em ninguém nem mesmo num colega de trabalho. As pequenas empresas (inclusive a minha) que sempre dizemos ser uma “família”, mas infelizmente hoje é difícil tratar seus funcionários como família. Agora todo mundo tem que esconder seus bens de valor, colocar cadeados nos armários, esconder tudo, e minhas funcionárias até exigem a instalação de mais trancas, paredes e portas com chave com medo de sofrerem violência não só de visitantes, mas também de ex-funcionários que as vezes aparecem para resolver alguma pendência. Enquanto isso, a justiça do trabalho impede qualquer tipo de verificação criminal, e permite expor todos os trabalhadores a bandidos de todos os tipos. Como se não bastasse toda a grana que gastamos com seguros de carga, segurança privada, assaltos constantes, seguro de carro, câmeras de segurança e toda parafernália eletrônica para ficarmos seguros, agora temos que desconfiar e nos proteger dos nossos próprios colegas de trabalho sem direito a conhecer seu histórico.

Por fim, eu pergunto, se um funcionário roubar o outro dentro da empresa, e o funcionário entrar na justiça por perdas e danos… aposto que a empresa será obrigada a pagar por isso, e o ladrão não vai nem ao menos poder ser mandado embora por justa causa. Afinal, é praticamente impossível despedir por justa causa no Brasil porque o funcionário está sempre certo e não teremos provas cabais para acusá-lo do roubo.

 

Um comentário em “Furtos dentro das empresas aumentam enquanto empresas são condenadas por pedir certidão de antecedentes criminais.

  1. Marcelo disse:

    Outro equívoco dos Tribunais Trabalhistas, que invocam o Princípio da Proporcionalidade. Em resumo, deve existir relação entre o cargo que será ocupado pelo candidato e a exigência de certidão.
    Assim, o empresário poderá exigir o documento de um interessado à função de vigilante; não, porém, de um escriturário. Mas eu pergunto: E se este vai trabalhar em local no qual há, somente, mulheres, e ele foi condenado por crime contra os costumes.
    Conversei com o meu pai e exigiremos de todos os candidatos certidão de antecedentes, independentemente do cargo, diante do elevado grau de violência que atinge o país.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s