Consumidores usam o poder das redes sociais para denegrir empresas injustamente sem direito de defesa.

Hoje li uma notícia muito rara de um juiz que deu ganho de causa a empresa Habib`s contra pessoas que usaram o Facebook para fazer uma campanha contra a empresa. Uma funcionária do Habib`s retirou um cachorro vira lata de dentro do restaurante, ele foi atravessar a rua e foi atropelado. Duas mulheres decidiram rodar a baiana no Facebook, promoveram protesto nas ruas e denegriram a imagem da empresa.

O poder do Facebook é impressionante e desproporcional. Qualquer consumidor que se sentir lesado, pode destruir a reputação de uma empresa em poucos dias. Nestes casos, a empresa não tem nenhum direito de defesa para que todos saibam os dois lados da história. A pessoa pode contar a versão que quiser. Agora a justiça mostrou que as pessoas não podem sair falando mal das empresas. Se uma empresa falar mal publicamente de qualquer pessoa, é processo de dano moral na certa com altos valores de indenização, e até hoje, nunca tinha visto o contrário: o consumidor pagar indenização a empresa.

Vejamos este caso: a culpa não foi do motorista que atropelou, não foi do funcionário que tirou o cachorro, nem da prefeitura que não cuida dos vira latas da rua. A culpa foi da empresa que segue rigorosos padrões de higiene e Vigilância Sanitária. Se tira o cachorro de dentro do restaurante, os defensores dos animais falam mal. Se deixa dentro, outros clientes reclamam da falta de higiene e o fiscal da vigilancia sanitaria aplica multa e fecha o estabelecimento.

A internet e redes sociais dão um poder muito grande a qualquer pessoa. Para os empresários, infelizmente um consumidor que bota a boca no trombone podem ter muito mais força do que mil comentários positivos de clientes satisfeitos. Pequenos deslizes de qualquer empresa com algum consumidor pode custar um preço muito alto para a imagem da empresa.

http://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2013/08/29/mulheres-sao-condenadas-a-indenizar-habibs-apos-organizar-protesto-contra-a-rede.htm#comentarios

Um comentário em “Consumidores usam o poder das redes sociais para denegrir empresas injustamente sem direito de defesa.

  1. Michel disse:

    Um dos defeitos do brasileiro típico é a incapacidade de se colocar no lugar de pessoas que vão sofrer de sua ação injusta. O consumidor não se coloca no lugar do empresário processado por motivo absurdo ou desonesto. O funcionário que entra na justiça mentindo não se coloca no lugar do patrão que sempre pagou tudo certinho. O advogado que tenta extorquir o empresário não se coloca no lugar do coitado que pode perder tudo no processo. O empresário rico não se preocupa com consumidores pequenos que tem reclamações legítimas. Quem aumenta o imposto não se coloca no lugar do empresário que já está com dificuldades. O motorista de ônibus não se coloca no lugar dos passageiros e dirige como se eles fossem porcos e gados.

    Onde está o senso comum?

    Já faz 15 anos que eu estou querendo saber dizer “wisdom” ou “sagesse” em português do Brasil. Se a palavra existe, não vejo praticamente nenhum wisdom na cultura.

    Um cliente me processou mentindo. Eu perdi R$5.000 por causa da mentira. Perdi muitos dias também preparando a petição que a juíza nem leu. O cliente era ex-secretário de uma prefeitura, então uma pessoa conhecida e importante na cidade. Será que ele não tem nenhuma vergonha? Será que ele sabe o quê que é vergonha?

    Eu sei que eu também poderia ganhar dinheiro na justiça fazendo a mesma coisa dele, mas nem penso nisso. EU tenho vergonha. Prefiro ser pobre a ser sem-vergonha.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s