Quando a lei desfavorece a empresa, a lei é feita para ser cumprida. Quando a lei desfavorece um funcionário, querem fazer um acordo.

A CLT, como todas as leis no Brasil, é muito detalhista, onerosa para as empresas e rígida. Muitas empresas, assim como a minha, já tem gastos muito altos com os encargos trabalhistas, por isso, seguimos tudo o que a CLT diz, mas também não temos gordura para oferecer muito além do que a lei estabelece. Afinal, lei é para ser cumprida.

Funcionários de modo geral, depois de conseguirem um benefício, já incorporam aquilo como direito adquirido e em pouco tempo irá pedir mais, esquecendo dos benefícios já conquistados. Isso também acontece com novos funcionários que não viveram o tempo em que aqueles benefícios não existiam e foram conquistados.

Os pontos que atualmente estão gerando mais questionamentos pelos funcionários na minha empresa é o DSR (Domingo Semanal Remunerado), Pontes dos Feriados, flexibilização das férias e nosso “prêmio assiduidade”. A lei diz que quem não obedece os horarios de trabalho, não terá direito ao DSR. Apesar de haver uma tolerância na empresa, os funcionários sempre pedem mais tolerância. Os funcionários também reclamam sobre as emendas de feriados: não querem compensar. Uma alternativa seria descontar os dias pontes das férias anuais, mas a lei não permite. Temos também um prêmio assiduidade para quem chegar todos os dias no horário. Quem chega sempre no horário, ganha valores extras (100%) no vale alimentação. Quem atrasa até 30 minutos, ganha 50% deste premio. Acima de 30 minutos não ganha.

Implantamos este prêmio pois o conceito do DSR não funciona pois os funcionários trazem um atestado médico falso e acabam ganhando o DSR da mesma maneira, Mesmo com atestado médico verdadeiro, a empresa fica prejudicada e com a produção reduzida, por isso, sempre achei justo a empresa não ter que pagar o prêmio se o funcionário não estiver lá produzindo. Nosso prêmio independe de atestado. Na época em que começamos a oferecer o prêmio, todos ficaram felizes. Agora já nos perguntam se poderia haver alguma tolerancia para 100% do prêmio e reclamam que a empresa é muito rígida. Ora bolas, quem se atrasa um pouco continua ganhando premio, porem 50%. Mas na cabeça das pessoas, eles sempre querem criar mecanismos ou alternativas para ganhar 100% de qualquer prêmio ou benefício.

O conceito mais claro na minha cabeça para a questão que o funcionário e o sindicato sempre querem fazer acordo quando a lei não os favorece é o pedido de demissão. Os funcionários sempre querem fazer acordo e pedir para serem mandados embora. O funcionário que não for mandado embora, vai fazer corpo mole até que a empresa se convença que é melhor pagar as multas da recisão do que manter um peso morto na empresa. Nesse ponto, o funcionário tem a faca e o queijo na mão e a empresa fica impotente para mandá-lo embora por justa causa, mesmo tendo um funcionário claramente improdutivo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s